Lançamento – Capital Intantível: Guia de melhores práticas para a avaliação de Ativos Intangíveis

julho 13, 2012

No mundo atual, uma empresa pode ser reconhecida pelos bons produtos e serviços que oferece ao mercado e assim atingir um número maior de consumidores, mesmo quando seus preços são mais altos do que os da concorrência. Como essas empresas alcançaram essa situação tão desejada? Provavelmente são empresas que identificaram e dominam os seus valores materiais e imateriais (os ativos intangíveis).

Com linguagem simples e objetiva, Capital Intangível busca levar aos leitores o conjunto das melhores práticas para a avaliação econômica de ativos intangíveis na visão do pioneiro e especialista na área, com mais de 17 anos de experiência, José Roberto Martins.

Estabelecer o preço ou o valor de um negócio na sociedade do conhecimento só tem sentido quando as principais variáveis envolvidas forem conhecidas e dimensionadas, sejam elas ligadas a fatores objetivos ou subjetivos. O intuito deste livro é mostrar como é feita a avaliação das variáveis ligadas aos ativos intangíveis para um resultado mais próximo da realidade.

Além da explicação terórica, o texto contém inúmeros exemplos e explicações, e é finalizado com alguns exercícios práticos para uso recorrente. Um verdadeiro guia para facilitar a avaliação dos ativos intangíveis.

 

Fonte: livro “Capital Intangível – Guia de melhores práticas para a avaliação de Ativos Intangíveis”, de José Roberto Martins – Integrare Editora

Para mais informações sobre o tema, consulte o livro ou entre contato conosco.

Clique aqui para baixar o 1º capítulo do livro!

Anúncios

Ativos Intangíveis

julho 10, 2012

O cenário atual, permeado por barreiras como instabilidade financeira, competitividade acirrada e regulamentação abusiva, exige que as companhias busquem constantemente diferentes formas para se destacar no mercado. A tarefa, entretanto, não é das mais fáceis e gera dúvidas que frequentam as mesas de reunião de executivos e CEOs. Entre os questionamentos estão, por exemplo, como inovar para obter mais lucro? E ainda: como ser uma empresa diferenciada e valorizada ao mesmo tempo?As respostas para essas e outras dúvidas estão na administração dos Ativos Intangíveis e na capacidade das empresas os identificarem, quantificarem e gerenciarem.

 

Para quem ainda não está familiarizado com o termo “Ativo Intangível”, cabe uma explicação: Ativo  Intangível é tudo aquilo que não tem um valor claramente definido, expresso em uma nota fiscal ou no balanço patrimonial. Exemplos são o poder intelectual, o gerenciamento de riscos, a capacidade de inovação, iniciativas socioambientais e, sobretudo, a marca, ou simplesmente a reputação empresarial.

 

Segundo José Roberto Martins, as marcas são, sem dúvida, os ativos intangíveis mais conhecidos e reconhecidos. Hoje, inúmeros recursos e métricas estão disponíveis para o julgamento de marcas.

 

Martins destaca o caso da Sadia, marca que considera valiosa não apenas por seu logotipo, mas pelos produtos que quase todos os brasileiros reconhecem. Há por traz desse patrimônio questões que envolvem distribuição no varejo, recursos exclusivos e capacidade de inovação – questões que, muitas vezes, os consumidores sequer imaginam e que ultrapassam os balcões de supermercados e padarias.

 

 

Fonte: livro “Capital Intangível – O guia de melhores práticas para a avaliação de Ativos Intangíveis”, de José Roberto Martins – Integrare Editora

Para mais informações sobre o tema, consulte o livro ou entre contato conosco.

Saiba mais sobre o livro!

 


Os três pilares da sabedoria

janeiro 9, 2012

Existem três principais criadores e sustentáculos do líder sábio. O primeiro é a compreensão. Ela envolve não só a habilidade para enxergar as coisas por outra perspectiva, mantendo um distanciamento imparcial dos fatos e, a partir disso, entender o contexto dos eventos. Requer, também, a percepção do que acontece além e sob sua aparência superficial. Em outras palavras, é compreender o contexto geral dos acontecimentos e não prender-se a pormenores.

O segundo ponto é a habilidade para refletir, interiorizar e tocar a essência de nosso verdadeiro valor, despertando nossa intuição adormecida.

O terceiro é o desempenho consciente dos valores, no tempo certo e de acordo com as necessidades do momento.

Fonte: trecho do livro “O Espírito do Líder 1 – Lições para tempos turbulentos” de Ken O’Donnell – Integrare Editora

Para mais informações sobre o tema, consulte o livro ou entre contato conosco.

Clique aqui para baixar o 1º capítulo do livro


Negócios x Valor

maio 17, 2011

Na ânsia de oferecer mais aos seus clientes, vendedores tentam antever as suas necessidades e desejos, esquecendo de lhes  perguntar sobre o quê efetivamente, constitui-se valor para eles. E o resultado, não raras vezes, são percepções insatisfeitas, atendimentos inadequados e rejeições futuras à marca, produto ou serviço.

Construir e comunicar valor para o cliente é tão fundamental quanto saber o que realmente significa valor para ele. Emergir necessidade e desejos e, sobre elas, estruturar uma oferta que atendam a essas demandas faz-se lição primeira para quem pretenda conquistar e, sobretudo, encantar seu cliente.

Fonte: Trecho de texto de Carlos Alberto Carvalho Filho publicado pela revista “Tomorrow” – Abril de 2011


%d blogueiros gostam disto: