Você sabe fazer MAPAS MENTAIS? Aprenda! Por Tony Buzan

agosto 2, 2013

 

BLOG: Já está nos rascunhos do BLOG!

Os Mapas Mentais têm uma estrutura que encoraja a mente a ser o mais livre possível. A intenção é memorizar tudo o que sua mente pensa a respeito da ideia central. Como sua mente vai gerar ideias mais rápido do que você pode escrever, não deveria haver praticamente nenhuma pausa. Na verdade, se você parar, provavelmente vai notar que a caneta vagará pela página. No momento em que notar que isso está acontecendo, olhe novamente para baixo e continue. Não se preocupe com ordem e organização, pois, na maioria dos casos, isso acontece naturalmente. Se não acontecer, uma pincelada de ordenação pode ser feita no fim do exercício.

• Comece com uma imagem colorida no centro. Na maioria das vezes, uma imagem vale mais que mil palavras e encoraja o pensamento criativo enquanto aumenta signifi cativamente a memória. Coloque o papel na horizontal, para que esteja na orientação de paisagem.

• Inclua imagens ao longo de seu Mapa Mental. Isso serve também para estimular todos os processos córticos, atrair seus olhos e melhorar a memória.

• As palavras devem ser desenhadas em vez de simplesmente escritas. Isso é para propósitos de revisão. Uma palavra desenhada tem uma imagem mais fotográfica, clara e legível, e um feedback mais compreensível. O pequeno tempo extra que você leva para desenhá-las é amplamente compensado pelo tempo que você economiza quando está revisando.

• As palavras desenhadas devem estar em galhos, e cada galho conectado a outros galhos mais finos. Isso garante que o mapa mental tenha uma estrutura básica.

• As palavras devem estar em “unidades”: uma por “galho”. Isso deixa cada palavra com mais ganchos livres e permite que você anote com mais liberdade e flexibilidade.

• Use cores ao longo de seu Mapa Mental, pois elas aumentam a memorização, são prazerosas aos olhos e estimulam os processos córticos.

Imagem

Fonte: livro “Use sua Mente – Como desenvolver o poder do seu cérebro”, de Tony  – Integrare Editora

 

Saiba mais sobre o livro!


Um manual para o cérebro

julho 18, 2011

Imagine que você é um atleta olímpico, musculoso, incrivelmente flexível e – em termos cardiovasculares – em boa condição, mas fica atolado em um pântano ou em uma areia movediça.

O que você pensaria? Invariavelmente, que o modo para sair dessa encrenca é usar sua energia olímpica. O que aconteceria se você fizesse isso? Afundaria rápido.

É aí que, como diz Shakespeare, eis a questão. Essa é a essência do dilema. Apesar de ser inteligente, poderoso e focado, você, o atleta olímpico, afundaria, pois não aplica o pensamento correto para o desafio que está enfrentando. Você afundaria apesar – e por causa – de seus melhores esforços.

Isso é o que muitas pessoas fazem quando precisam usar o cérebro – nós, sem intenção, não sabemos como acessar e aplicar esses poderes imensos.

Há tempos, tomei conhecimento dos diferentes tipos inteligências e como elas trabalham em harmonia com as outras quando desenvolvidas corretamente.

As inteligências múltiplas incluem:

É importante enfatizar que essas inteligências são como músculos que podem ser treinados e aperfeiçoados, e todos têm potencial para desenvolver qualquer inteligência em alto grau.

Durante a semana, falaremos mais sobre isso!

Fonte: Trecho do livro “Use sua mente – Como desenvolver o poder do seu cérebro”, de Tony Buzan – Integrare Editora

 



%d blogueiros gostam disto: