O que impulsiona a criatividade?

novembro 27, 2012

Criatividade é o desenvolvimento de ideias, imagens e soluções originais baseadas em ideias já existentes com o uso de imaginação e associação. A força que impulsiona a criatividade é a imaginação.

Criatividade envolve jornadas imaginativas que levam seu cérebro a campos originais e ainda não explorados. Essas novas associações dão origem a novas realizações que o mundo chama de “avanços criativos”.

Fica claro que a memória é o uso de imaginação e de associação para manter o passado no lugar apropriado e recriá-lo no presente, enquanto criatividade é o uso de imaginação e de associação para colocar o pensamento presente no futuro e recriar na realidade o pensamento presente em um tempo futuro.

            Trabalhar de forma criativa produz múltiplas ideias, que podem ser totalmente avaliadas e analisadas, com a melhor parte dessas inovações sendo processadas e transformadas em “soluções” e realidade. É nesse momento que se pode colher os frutos de tal criatividade em comportamentos criativos e aumentando seu valioso “capital intelectual”.

Foi o gênio Leonardo da Vinci quem propôs que, para ser verdadeiramente criativo, você precisa:

« desenvolver seus sentidos;

« estudar a arte da ciência;

« estudar a ciência da arte;

« perceber que tudo, de alguma maneira, conecta-se a tudo.

Dedicação e energia são necessárias para firmar esse novo modo de entender como você pensa, estuda, aprende e memoriza.

Criatividade pode – e deve – ser aplicada em todas as áreas do aprendizado. Ser criativo pode ser difícil quando se é obrigado a trabalhar sob códigos de conduta, regras e regulamentos que parecem atingir todos os níveis do pensamento. É exatamente nesse momento que você precisa procurar novas perspectivas. Mesmo sentindo-se ansioso, logo tudo vai ficar excitante e livre.

Como você pode chegar a esse ponto? Aplicando técnicas que, ao se tornar naturais, darão suporte a todo tipo de empenho.

 

Fonte: livro “Use sua Mente –  Como desenvolver o poder do seu cérebro”, de Tony Buzan – Integrare Editora

Saiba mais sobre o livro!

Anúncios

Um manual para o cérebro

julho 18, 2011

Imagine que você é um atleta olímpico, musculoso, incrivelmente flexível e – em termos cardiovasculares – em boa condição, mas fica atolado em um pântano ou em uma areia movediça.

O que você pensaria? Invariavelmente, que o modo para sair dessa encrenca é usar sua energia olímpica. O que aconteceria se você fizesse isso? Afundaria rápido.

É aí que, como diz Shakespeare, eis a questão. Essa é a essência do dilema. Apesar de ser inteligente, poderoso e focado, você, o atleta olímpico, afundaria, pois não aplica o pensamento correto para o desafio que está enfrentando. Você afundaria apesar – e por causa – de seus melhores esforços.

Isso é o que muitas pessoas fazem quando precisam usar o cérebro – nós, sem intenção, não sabemos como acessar e aplicar esses poderes imensos.

Há tempos, tomei conhecimento dos diferentes tipos inteligências e como elas trabalham em harmonia com as outras quando desenvolvidas corretamente.

As inteligências múltiplas incluem:

É importante enfatizar que essas inteligências são como músculos que podem ser treinados e aperfeiçoados, e todos têm potencial para desenvolver qualquer inteligência em alto grau.

Durante a semana, falaremos mais sobre isso!

Fonte: Trecho do livro “Use sua mente – Como desenvolver o poder do seu cérebro”, de Tony Buzan – Integrare Editora

 



%d blogueiros gostam disto: