Quanto custa a perda de talentos e clientes? Por César Souza

setembro 11, 2013

Mito que deve ser combatido: o maior concorrente de uma empresa é quem fabrica os mesmos produtos ou presta os mesmos serviços.

É mais fácil culpar o concorrente pelo insucesso no negócio.

Na realidade, o maior adversário de uma empresa está quase sempre dentro da própria casa: falta de clareza no rumo, estrutura inadequada, falta de integração entre as áreas, atitudes e práticas equivocadas sobre os clientes, as pessoas e os parceiros. A desintegração entre pessoas e entre departamentos cria um custo invisível considerável, da ordem de 15% do nosso custo total, que deveria ser contabilizado no balanço da nossa empresa.

Perdemos talentos e clientes vão embora devido à falta de integração. Quanto custa isso? Vamos monetizar e contabilizar esse custo?

Imagem

Fonte: livro “A NeoEmpresa – O futuro da sua carreira e dos negócios no mundo em reconfiguração”, de César Souza. Integrare Editora

Saiba mais sobre o livro!

Anúncios

Para que a sua carreira e a empresa em que trabalha tenham um futuro mais saudável! Por César Souza

agosto 14, 2013

A nova forma de pensar deve ser buscada visando não apenas oferecer novas respostas para velhos problemas que continuam a nos atormentar por serem recorrentes, mas também encontrar respostas para os novos desafios que começam a nos angustiar por nos pegarem de surpresa. Além disso, já é necessário buscar soluções inovadoras para situações que nem conhecemos ainda – para que a sua carreira e a empresa em que trabalha tenham um futuro mais saudável.

Insistir no velho modelo é ignorar que o eixo do mundo corporativo está mudando. É aplicar soluções obsoletas aos desafios atuais. Infelizmente, a maioria das empresas e escolas de negócios comete esse equívoco: continua formando líderes e gestores para o passado, para uma realidade que não existe mais.

Não podemos mais dirigir empresas, governos e instituições amarrados ao passado. Temos de inventar o futuro. O futuro é o passado pelo qual queremos ser lembrados, o legado que pretendemos deixar. Temos de cultivar o que sera a nossa herança para as próximas gerações.

Imagem

Fonte: livro “A NeoEmpresa – O futuro da sua carreira e dos negócios no mundo em reconfiguração”, de César Souza – Integrare Editora

 

Saiba mais sobre o livro!

 


MITO: a liderança é inata!… Por César Souza

julho 31, 2013

A crença de que liderança vem do berço precisa ser vigorosamente combatida. Não há evidência de que seja verdadeira. No início da minha carreira, eu acreditava nisso, mas as experiências que fui colecionando ao longo da vida profissional me fizeram ver o quanto essa crença é infundada. Ninguém nasce líder. Uma pessoa pode aprender a ser líder.

Infelizmente, a crença de que a liderança é inata conduz a inúmeros erros na hora de selecionar candidatos, promover profissionais, escolher parceiros, educar filhos, relacionar‑se com alunos.

Lembrei‑me de vários exemplos do mundo real. Fechei os olhos por alguns segundos, pensei nos filhos de poderosos líderes políticos, empresários e celebridades e tentei enumerar quantos deles têm sido exemplo de competência. O saldo foi bastante pobre. Eles são mais exceções que a regra.

Felizmente, para a Humanidade, o “DNA de líder” não existe. Nenhuma das características que tornam um líder eficaz pode ser transmitida geneticamente. Ainda bem que não é possível clonar líderes feitos à imagem e semelhança de antecedentes nem de outros líderes que possam servir como “modelo”. Cheguei a sentir um calafrio ao cogitar a possibilidade de o DNA de líderes do mal ser injetado em cobaias humanas.

Imagem

Fonte: livro “A NeoEmpresa – O futuro da sua carreira e dos negócios no mundo em reconfiguração”, de César Souza – Integrare Editora

 

Saiba mais sobre o livro!


O novo líder: de “construtor de paredes” para “construtor de pontes”

agosto 27, 2012

Um dos princípios da era do Management que está sendo substituído por novas práitcas que caracterizam a gestão de pessoas na NeoEmpresa é substituição do Líder contrutor de paredes, para o Líder construtor de pontes.

No passado, os líderes competentes eram verdadeiros “construtores de paredes”, que conseguiam delimitar bem o seu escopo de atuação e seu território como forma de evitar conflitos e interferências.

Na NeoEmpresa, contudo, será necessária a postura inversa, a de “construtores de pontes”: líderes sinérgicos, agregadores, que consigam integrar os membros de sua equipe, as diversas equipes da sua empresa e construir pontes com Clientes, Parceiros, Distribuidores, Fornecedores e Comunidades, entre outros.

Fonte: livro “A NeoEmpresa – O futuro da sua carreira e dos negócios no mundo em reconfiguração”, de César Souza – Integrare Editora

Para mais informações sobre o tema, consulte o livro ou entre contato conosco.

Saiba mais sobre o livro!


Da gestão de cargos, procedimentos e sistemas para o empresariamento de pessoas

abril 25, 2012

Após a Segunda Guerra Mundial, as autoridades militares norte-americanas solicitaram aos grandes empresários da época que contratassem os detentores de algumas patentes militares, pois o governo não tinha condições de mantê-los na sua folha de pagamento. O pedido foi atendido. Das 100 maiores empresas americanas do pós-guerra, cerca de 30 dirigentes da área de RH tinham passado militar. Daí se originou a administração de cargos (não de pessoas) por meio de procedimentos e sistemas, inspirados no modelo militar. O funcionário era “enquadrado” conforme sua “patente” e recebia um cargo e o pacote de benefícios inerente, sem levar em conta suas peculiaridades e individualidades.

A Gestão de Pessoas por meio de processos e procedimentos exime o gestor de customizar salários, treinamento e avaliação de desempenho. O sistema se encarrega de fazer isso pelo chefe, já prevendo as competências e atribuições de cada cargo e o salário compatível com aquelas funções.

Esse modelo não se ajusta ao contexto de “montanha-russa” em que as empresas vivem hoje, no qual as pessoas terão de fazer “mais e melhor”, diferentemente do atual “mais com menos”.

Acompanha cada membro de sua equipe de maneira customizada, um a um. O novo líder aloca mais tempo para Pessoas, Clientes e Parceiros, em vez de gastá‑lo em dezenas de reuniões internas e burocracias. A partir desse novo paradigma, a Gestão de Pessoas passa a ser missão de todos os líderes e gestores e não mais do RH.

 

 

Fonte: trecho do livro “A NeoEmpresa – O futuro da sua carreira e dos negócios no mundo em reconfiguração”, de César Souza- Integrare Editora

Para mais informações sobre o tema, consulte o livro ou entre contato conosco.

Clique aqui para baixar o 1º capítulo do livro!


Características de uma empresa de sucesso

abril 9, 2012

Já sabemos que determinadas características são eternas na vida de uma empresa de sucesso, tais como:

Pois bem, a Era do Management nos ajudou a chegar até este ponto. O que precisamos agora – diante das novas circunstâncias e declientes, pessoas e parceiros com novos sonhos e demandas – é repensar e enriquecer alguns dos seus princípios e dar o próximo passo, vislumbrando as características da empresa moderna do século XXI, a NeoEmpresa.

Em vez de considerá-la o centro de gravidade do universo corporativo, como estamos acostumados a fazer, imagine a NeoEmpresa como uma entidade multicentrada, que gravita em torno de Clientes, Pessoas, Acionistas, Parceiros, Investidores, Comunidades e demais partes interessadas.

Ela possui diversas características que a diferenciam das empresas tradicionais do passado. A NeoEmpresa:

Constrói um “Mapa de Geração de Valor”, em vez de apenas procurar resultados de curto prazo.

Integra, de forma orgânica, sistêmica e diferenciada (1) o modelo de negócios; (2) o modelo de gestão; e (3) o modelo organizacional.

Atrai e desenvolve líderes inspiradores, verdadeiros “construtores de pontes”.

Luta pelo progresso dos seus Clientes.

Customiza a Gestão das Pessoas, em vez de apenas “gerenciar cargos”

Uma característica que vale a pena destacar: a NeoEmpresa valoriza o sonho como primeira etapa do Planejamento Estratégico, levando em conta as aspirações de Empreendedores, Clientes, Parceiros e Colaboradores, em vez de considerar o processo de planejamento apenas um ritual lógico e racional para registrar decisões e metas.

Até a década de 1980 ainda se dizia que “o segredo é a alma do negócio”. Os publicitários venderam a ideia de que “a propaganda é a alma do negócio”. Na NeoEmpresa, “a alma é a propaganda do negócio”. Seja bem-vindo à Era do Pós-Management. Ou, se você for mais conservador e assim o preferir, seja bem-vindo ao NeoManagement. Ou ao Management na Era Pós-Moderna!

Fonte: Livro “A NeoEmpresa – O futuro da sua carreira e dos negócios no mundo em reconfiguração”, de César Souza – Integrare Editora

mais: http://neoempresa.com.br/


Líderes inspiradores, novas concepções

abril 2, 2012

Quando queremos fazer alguma coisa nova, temos que “esquecer” as coisas antigas que já não servem mais, sepultar algumas ideias mortas.

Falo em 5 mitos, principais, que estão em torno do líder atual e que devem ser sepultados. São eles:

Veja a explicação de cada um desses mitos no vídeo abaixo.

http://neoempresa.com.br/video3.php

 

Fonte: Livro “A NeoEmpresa – O Futuro da sua carreira e dos negócios no mundo em reconfiguração”, de César Souza


%d blogueiros gostam disto: