janeiro 13, 2012

Shakespeare disse que “Nós somos feitos da mesma matéria que compõe os nossos sonhos!”. Com essa afirmação, ele confere um caráter de nobreza à qualidade humana de sonhar. Entretanto, se todos sonhamos, pois não se trata de uma prerrogativa e sim de uma qualidade, por que nem todos realizamos os nossos sonhos? É que os sonhos são como os deuses, só existem enquanto acreditamos neles, e é muito forte a tendência de as pessoas sonharem sonhos nos quais elas não crêem.

É aqui, neste átimo que separa a esperança do desespero, que reside a inteligência humana. O sonho precisa da inteligência para se realizar, senão ele vira frustração. Pensar estrategicamente é dedicar inteligência à realização de um ideal, e, para isso, é necessário começar transformando o sonho – algo etéreo – em um objetivo – algo mais denso –, e chegar ao plano de ação.

Quem não sonha e não tem objetivos claros tateia na escuridão da incerteza.

Eugenio Mussak

Fonte: trecho do livro “Pensamento Estratégico para Líderes de Hoje e Amanhã” Integrare Editora

Para mais informações sobre o tema, consulte o livro ou entre contato conosco.

Anúncios

Por que treinar a memória é bom para você?

agosto 8, 2011

Experimentos com técnicas de mnemônicos mostraram que, se uma pessoa se lembra de nove entre dez coisas usando tal técnica, a mesma pessoa irá se lembrar de novecentas coisas entre mil, 9 mil em 10 mil e 900 mil em um milhão. Da mesma forma, alguém que se lembra perfeitamente de dez coisas, irá se lembrar perfeitamente de um milhão de coisas. Esses resultados indicam novamente a capacidade aparentemente infinita do cérebro de armazenar e criar informações.

Tradicionalmente, essas técnicas foram consideradas meros truques, mas esse pensamento mudou. Percebeu-se que os métodos que habilitam a mente a lembrar algo mais facilmente, e por mais tempo, estão na verdade usando as habilidades naturais do cérebro.

O conhecimento atual sobre como nossas mentes trabalham mostra que princípios mnemônicos estão, na verdade, totalmente conectados com os procedimentos básicos nos quais nossos cérebros funcionam. O uso de princípios mnemônicos tem consequentemente ganhado respeito e popularidade, e esses princípios atualmente são ensinados em universidades e escolas como técnicas tradicionais no processo geral de aprendizado. O aperfeiçoamento da memória que se pode alcançar  é notável, e a gama de técnicas que podem ser usadas é extensa.

Fonte:  Trecho do livro “Use sua Mente”, de Tony Buzan – Integrare Editora

 


Livro reúne técnicas exclusivas capazes de elevar a performance do cérebro humano

julho 22, 2011

n
Best-seller mundial, traduzido em mais de 30 idiomas e que já vendeu mais de meio milhão de exemplares em 200 países chega ao Brasil pela Integrare Editora, com a promessa de elevar o potencial do cérebro humano 

nnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnn

“Este livro é um manual de instruções para o cérebro. Ele foi idealizado para ajudar o leitor a entender como utilizar, com eficiência, o potencial do cérebro, independente dos desafios….” Tony Buzan.

 

Cerca de 100 bilhões de células cerebrais, os chamados neurônios, são responsáveis por monitorar as funções mentais do ser humano. Assim, por meio de trilhões de conexões realizadas por estes neurônios, o cérebro é capaz de controlar sensações como o sono, a fome, a sede e todos os movimentos que realizamos. Mais do que isso: ele é o centro de controle de emoções como tristeza, raiva, alegria, amor, medo e muitas outras. Entretanto, neurocientistas são unânimes ao afirmar que os seres humanos utilizam apenas 10% da capacidade do cérebro.

• Potencializar o poder da memória;

• intensificar a velocidade da leitura;

• aperfeiçoar técnicas de estudo e trabalho.

Estas são apenas algumas das atividades que Buzan descreve no livro. Ao lado de tudo isso, o autor detalha as técnicas de produção do chamado mapa mental, diagrama voltado à gestão de informações, utilizado hoje por mais de 250 milhões de pessoas para liberar o potencial do cérebro.

O autor reconhece que ter uma memória capaz de armazenar o máximo de informações não é tarefa das mais simples, mas defende ações como imaginação e associação para ajudar nesse processo. Segundo ele, tais iniciativas são fundamentais para efetivar as técnicas de memorização. Assim, quanto mais eficiente for o uso do que classificamos como dispositivos-chaves, ou seja, palavras, números, imagens, maior será o potencial da memória. Na prática, isso significa que quanto mais o indivíduo ouvir, experimentar, visualizar, cheirar ou sentir o que está tentando memorizar, maiores serão as chances de reforçar sua habilidade de lembrar e de buscar na mente a informação quando necessário.

 Traduzido em mais de 30 idiomas, com mais de meio milhão de exemplares em 200 países, o livro traz propostas de exercícios exclusivos e métodos revolucionários para treinar o cérebro que, além da memória, potencializam o QI e a criatividade, auxiliam o leitor a conhecer detalhes do potencial do cérebro humano e a desenvolver habilidades intelectuais diferenciadas. 

Leia aqui o 1º capítulo do livro

Fonte: Trecho do livro “Use sua mente – Como desenvolver o poder do seu cérebro”, de Tony Buzan – Integrare Editora


Um manual para o cérebro

julho 18, 2011

Imagine que você é um atleta olímpico, musculoso, incrivelmente flexível e – em termos cardiovasculares – em boa condição, mas fica atolado em um pântano ou em uma areia movediça.

O que você pensaria? Invariavelmente, que o modo para sair dessa encrenca é usar sua energia olímpica. O que aconteceria se você fizesse isso? Afundaria rápido.

É aí que, como diz Shakespeare, eis a questão. Essa é a essência do dilema. Apesar de ser inteligente, poderoso e focado, você, o atleta olímpico, afundaria, pois não aplica o pensamento correto para o desafio que está enfrentando. Você afundaria apesar – e por causa – de seus melhores esforços.

Isso é o que muitas pessoas fazem quando precisam usar o cérebro – nós, sem intenção, não sabemos como acessar e aplicar esses poderes imensos.

Há tempos, tomei conhecimento dos diferentes tipos inteligências e como elas trabalham em harmonia com as outras quando desenvolvidas corretamente.

As inteligências múltiplas incluem:

É importante enfatizar que essas inteligências são como músculos que podem ser treinados e aperfeiçoados, e todos têm potencial para desenvolver qualquer inteligência em alto grau.

Durante a semana, falaremos mais sobre isso!

Fonte: Trecho do livro “Use sua mente – Como desenvolver o poder do seu cérebro”, de Tony Buzan – Integrare Editora

 



%d blogueiros gostam disto: