Identidade Organizacional. (por Lígia Fascioni)

outubro 21, 2015

O conceito de identidade organizacional, como demonstram os estudiosos Kiriakidou e Millward, não concorre com o de identidade corporativa. Segundo esses autores, a confusão ocorre por causa do caráter visual e de marketing associado normalmente à questão da identidade corporativa.

Nessa abordagem da identidade como um conjunto de ferramentas de comunicação (símbolos, logotipos, declarações de filosofia e ferramentas motivacionais), tudo é definido pela alta cúpula administrativa, onde ocorrem debates, entrevistas e questionamentos sobre onde a empresa deseja chegar, sua identidade desejada e até definições de missão e visão. Essa identidade “desejada” é então comunicada com o objetivo de se obter a imagem mais favorável no mercado e promover uma vantagem competitiva.

O que acontece, muitas vezes, é que a identidade “identificada” pelo alto escalão nem sempre é a representação genuína da corporação. Na vida real, a identidade corporativa é muito mais eficientemente comunicada por meio dos pensamentos, ações, comportamentos e interfaces dos colaboradores da empresa com o mercado.

Os funcionários conhecem bem a cultura da empresa e conseguem identificar, intuitivamente, alguns atributos essenciais. Então, identidade organizacional é o conjunto de estruturas que os membros utilizam para descrever o que é central, relevante e distintivo acerca da organização.

Eles afirmam ainda que a identidade organizacional é fortemente baseada em símbolos e significados particulares próprios de cada empresa, fazendo parte da sua cultura. Mas o que é uma empresa? Certamente, não são os prédios, nem a marca gráfica, nem os equipamentos e máquinas.

O que faz uma empresa são as pessoas que trabalham nela. São essas pessoas que constroem a sua cultura, a sua identidade organizacional e, em última instância, sua identidade corporativa. Dessa forma, pode-se dizer que identidade organizacional é um dos fatores de expressão da identidade corporativa.

insta_21_10_DNA Empresarial_Lígia Fascioni_Integrare_Edit

 

Fonte: livro “DNA Empresarial”, de Lígia Fascioni – Integrare Editora

Saiba mais sobre o livro!

Anúncios

Algumas perguntas e respostas sobre Imagem e Identidade Corporativa

janeiro 27, 2012

1. Qual a diferença entre identidade e imagem corporativa?

Identidade corporativa é o que a empresa é. Imagem corporativa é o que a empresa parece ser. A identidade é definida pelo conjunto de características que faz com que uma empresa seja diferente das outras, única, especial.

Já a imagem está na cabeça das pessoas e é montada como se fosse um quebra-cabeça, sendo que a empresa é quem distribui as peças. Cada contato que a pessoa tem com a organização fornece mais uma peça. Se as ações e comunicações não são coerentes e alinhadas entre si, a imagem da empresa acaba sendo construída por peças que não se encaixam, gerando confusão e desconfiança.

2. Então, identidade corporativa é a mesma coisa que marca corporativa?

Não. Os conceitos de identidade e marca são completamente diferentes. A marca é uma entidade concebida unicamente com o intuito de seduzir, de conquistar. Portanto, possui só características positivas. Já a identidade é o que a empresa é, não o que ela gostaria de ser, possuindo atributos positivos, mas também desagradáveis, pois nenhuma empresa é perfeita. Pode-se dizer que a marca é a parte “bonita” da identidade corporativa.

3. Então pode-se dizer que a identidade corporativa é a logomarca?

Também não. A identidade é um conjunto de características que fazem uma empresa ser diferente das outras. Aquilo que se conhece popularmente como logomarca é um desenho com o nome da empresa, ou seja, a sua representação gráfica. São, portanto, duas coisas completamente distintas. A representação gráfica é apenas uma das muitas manifestações físicas da identidade e pode tanto estar bem ajustada como completamente equivocada. Quando se muda a representação gráfica de uma empresa, de maneira nenhuma ela passa a ser outra empresa. Suas características essenciais continuam as mesmas.

4. Identidade corporativa é o mesmo que valores da empresa?

Não. A identidade e os valores podem ter atributos em comum, mas são conceitos diferentes. Vale lembrar que a definição de valores, no contexto do planejamento estratégico, é “aquilo que é importante para a empresa, seus princípios”. A identidade, como já dito, é um conjunto de atributos, mas alguns deles não são motivo de orgulho (lembre-se de que ninguém é perfeito), e não necessariamente precisam ser destacados.

Fonte: trecho do livro “DNA Empresarial”, de Lígia Fascioni – Integrare Editora

Para mais informações sobre o tema, consulte o livro ou entre contato conosco.

Clique aqui para baixar o 1º capítulo do livro


Sobre os atributos da identidade

outubro 26, 2011

Sócrates já pensava nessa questão da identidade e nos ensinou que todas as coisas do mundo possuem dois tipos de atributos. Os ESSENCIAIS, que fazem com que a coisa seja reconhecida como tal e a diferenciem de todas as outras; e os ACIDENTAIS, que ajudam a descrever essa coisa, porém, não são a sua essência. O que é essencial permanece ao longo de toda a vida, com sutis variações. O que é acidental muda de acordo com as aventuras e desventuras de seu sujeito.

Vamos pensar numa pessoa para facilitar o entendimento: o caráter dela permanece o mesmo (pelo menos nos seus pontos essenciais) desde criança. Se alguém é introspectivo e amigável, vai ser reconhecido por essas características ao longo de toda a sua vida. Uma criança curiosa será um velhinho curioso. Este é, então, um dos seus atributos essenciais.

Uma questão interessante a se pensar é que a frequência com que os atributos acidentais mudam também depende dos atributos essenciais. Se a empresa é mais conservadora, as manifestações físicas de sua identidade também mudam pouco: a marca gráfi ca, a decoração, a gestão de pessoas, o portfólio de produtos, tudo permanence estável e previsível ao longo de vários anos.

Já uma empresa mais inquieta, emocional, ousada, pode mudar várias vezes de marca, decoração, sistemas de gestão ou portfólio de produtos no decorrer de seu ciclo de vida.

Fonte: Trecho do Livro “DNA Empresarial”, de Lígia Fascioni – Integrare Editora

Para mais informações sobre o tema, consulte o livro ou entre contato conosco.

Clique aqui para baixar o 1º capítulo do livro!


%d blogueiros gostam disto: