Como relaxar de modo adequado

agosto 12, 2011

1. Reserve 15 minutos de seu dia. Sim, isso é possível: não assista ao telejornal, levante 15 minutos mais cedo, falte a uma reunião. Se realmente quiser, você encontrará 15 minutos.

2. Escolha um lugar onde você não será incomodado. Desligue seus telefones, feche as janelas etc.

3. Caso não se sinta confortável com o silêncio, coloque um CD relaxante para tocar. Recomendo White Island, de Michael Heppell. É muito bom!

4. Permaneça sentado. Se deitar, seu cérebro entenderá a mensagem de que você pretende tirar uma soneca, o que seria bom, mas não é esse o objetivo.

5. Respire profundamente duas vezes e feche os olhos.

6. Concentre-se em relaxar sua respiração, desacelerando-a.

7. Ao dar início ao relaxamento, concentre a mente em ideias, sons e imagens relaxantes.

8. À medida que estiver cada vez mais relaxado, concentre-se neste sentimento maravilhoso que é o estado de relaxamento.

9. Se sua mente começar a divagar, aceite o movimento criativo que ela faz mas retorne ao relaxamento.

10. Quando estiver relaxado, perceba-se transformando-se numa pessoa em forma e mais saudável. Visualize-se fazendo boas escolhas, ativo e com saúde e energia vibrantes.

11. Quando sentir que é a hora, conte lentamente de um a cinco e, a cada número, perceba-se cada vez mais alerta.

12. Chegando ao número 5, abra os olhos, faça um leve alongamento e aprecie o sentimento de completo relaxamento que acaba de criar.

Um relaxamento adequado requer disciplina e prática, mas os resultados são fantásticos. Esta é uma daquelas coisas que sabemos que são necessárias, mas para as quais geralmente não encontramos tempo. Bem, que tal perder o telejornal ou uma das novelas?

Fonte: trecho do livro “Mude! – Como ajustar seu ponto de vista e tirar o melhor de todas as situações”, de Michael Heppell

Anúncios

Raciocine como uma criança

julho 25, 2011

E que tal mudar, passando a raciocinar mais como uma criança?

As crianças pensam de modo diferente. Também aprendem com maior rapidez, testam novas ideias e se divertem mais. Pensam de modo eficiente. Desde cedo, elas são estimuladas a explorar, a correr riscos e a ir à luta. Posteriormente, à medida que crescem, essas características vão sendo deixadas de lado, devido a uma combinação entre o sistema escolar e a competição com colegas. É uma tragédia constatar quão pouco criativos os adolescentes se tornam ao deixar a escola em comparação com o mundo mágico das crianças pequenas.

Lanço um desafio. Na próxima vez que você deparar com um problema, aborde-o da mesma forma que uma criança. Caso você tenha esquecido o que as crianças fazem ao aprender, aqui vão algumas ideias:

Fonte: Trecho do livro – Mude! Como ajustar seu ponto de vista e tirar o melhor de todas as situações, de Michael Heppell


Comece a ignorar os maus conselhos!

junho 6, 2011

Você já reparou que à medida que envelhecemos damos uma atenção cada vez maior às coisas que não conseguimos fazer, mais do que àquelas de que somos capazes? Uma pergunta. Você tem habilidades artísticas? Depois de fazer essa pergunta a milhares de pessoas constatei que apenas três em cada cem leitores acreditam, de fato, ter tais habilidades.

Lembre-se agora de quando você tinha 5 anos de idade. No meio de uma reunião entre alunos, professores e o diretor, este último diz: “Levante a mão quem tiver habilidades para artes”. O que aconteceu? Isso mesmo, todos levantaram a mão.

Então, o que ocorreu de os seus 5 anos pra cá? A resposta é simples: 11. Sim, o bom e velho 11 entrou no caminho. Por volta dos 11 anos você passou a frequentar a segunda parte do Ensino Fundamental. Um dia, você estava no meio da aula de Artes, totalmente concentrado em um desenho de frutas cuidadosamente arranjadas, lápis 2B na mão. Então, no meio do trabalho, no momento em que você delicadamente fazia a sombra de uma banana atrás de uma polpuda maçã, seu melhor amigo se colocou atrás de você, apontou para seu trabalho e disse: “Que droga isso aí…”.

Às vezes as pessoas não são muito boas em fazer comentários ou então não estão sendo sinceras no que dizem e em nenhum momento consideram as consequências do que dirão.”

 

Fonte: trecho do livro “Mude! – Como ajustar o seu ponto de vista e tirar o melhor de todas as situações”, de Michael Heppell – Integrare Editora


Título: Cuidado! Você acaba se tornando especialista nas coisas que te preocupam… Vale a pena?

abril 27, 2011

Infelizmente, isso não quer dizer que você se aperfeiçoa nisso; significa apenas que você se torna um especialista em preocupação. As pessoas que mantêm o hábito de se preocupar têm uma capacidade excepcional de imaginar o inimaginável.

 As pessoas se preocupam por diversas razões. Mas você já percebeu que é sempre por uma razão negativa? Elas não se preocupam com a possibilidade de assinar um contrato, ou de encontrar seu verdadeiro amor. Preocupam-se, sim, com a possibilidade de perder o contrato ou de envelhecer e acabarem solitárias.

 A preocupação nada mais é do que um produto de seu imaginação. Ótima notícia, pois quanto maior sua habilidade de usar a imaginação para preocupar-se, mais facilmente ela poderá ser aproveitada para eliminar as preocupações de sua vida.

Fonte: trecho do livro “Mude! Como ajustar seu ponto de vista e tirar o melhor de todas as situações”, de Michael Heppell 


Levante a cabeça! Como?

março 25, 2011

A fuinha não é animal adorável? Ela se senta com a cabeça levantada, em busca de uma oportunidade para caçar, mantendo-se atenta aos predadores. A fuinha sobrevive porque parte para a ação.

Muitas pessoas andam com a cabeça baixa e mais tarde se queixam por perder uma oportunidade. Ao adotar a abordagem “cabeça erguida”, característica da fuinha, você conseguirá identificar uma variedade de oportunidades de sucesso.

O melhor disso tudo é: ao buscar oportunidades, com a mente aberta, uma oportunidade encontrada leva à outra. Assim, tudo fica mais fácil.

Talvez tenham lhe dito que as pessoas bem-sucedidas são obstinadas. Discordo. A maioria das pessoas bem-sucedidas que conheço está aberta a diferentes pontos de vista e opiniões. Conscientemente ou não, elas usam uma técnica chamada “reconfiguração”. Isso quer dizer que são capazes de olhar para as coisas sob diferentes perspectivas.

Fonte: “MUDE! Como ajustar seu ponto de vista e tirar o melhor de todas as situações”, de Michael Heppell – Integrare Editora


Mude! Como ajustar seu ponto de vista e tirar o melhor de todas as situações

março 24, 2011

O hábito e a segurança são, segundo especialistas, as razões principais que mantém milhões de pessoas apegadas às mesmas opções e comportamentos por décadas. Pode ser o mesmo cardápio, os caminhos semelhantes, o mesmo estilo de música ou ainda, as rotinas idênticas em um casamento, entre outras questões. “Mudar, tentar algo novo é um belo exercício para aumentar a autoconfiança e abandonar a chamada zona de conforto”. É o que afirma o palestrante internacional Michael Heppell, em seu livro, best-seller na Inglaterra, Mude! Como ajustar seu ponto de vista e tirar o melhor de todas as situações que chega ao Brasil, em março, pela Integrare Editora.

Direto do canal de vídeos da Integrare Editora, o autor Michael Heppell relata detalhes sobre o livro “MUDE!”, como também sobre esse estilo de viver:

Com dez capítulos recheados de histórias inspiradoras, Mude! reúne métodos e técnicas capazes de ajudar o leitor a encarar as situações de forma diferente e a agir de maneira a conquistar criatividade e autoconfiança, entre outros benefícios. “Mude! é um livro que estimula a tentar descobrir a melhor maneira de interpretar cada situação e como se comportar diante dela. Oferece meios simples para transformar o modo de pensar e conseguir extrair o melhor de cada situação” – comenta Heppell.

“Passei os últimos quinze anos analisando o que podemos fazer para tirar o melhor de toda e qualquer situação. Consegui condensar a essência de todo esse aprendizado, destilando-a neste livro aparentemente simples mais poderoso: “MUDE!”.
Michael Heppell.


%d blogueiros gostam disto: