Este livro…

abril 11, 2012

Este livro é um convite à reflexão, ao questionamento e à busca de novas respostas para os problemas recorrentes que perturbam seu dia a dia e os novos desafios que começam a tirar seu sono. Ele é um estímulo para você se prevenir contra situações que ainda não são conhecidas, mas que poderão levar sua empresa e sua carreira ao fracasso se não forem pensadas desde já.

Sua leitura ajudará a formular as perguntas essenciais que devem sempre ser feitas para aumentar as chances de sucesso nesse mundo em transe. saiba, porém, que o objetivo deste livro não é estabelecer os novos princípios do Management, mas alertar para o que não funciona mais, fornecer pistas, encorajar o leitor a buscar suas próprias respostas e ajudá-lo a visualizar os contornos da NeoEmpresa.

Gostou? Baixe grátis o 1º capítulo do livro 


Aprender é próprio da espécie humana. Mas, quem são os mentores?

junho 2, 2011

Essa fala de Içami Tiba nos alerta para o fato de que todos nós – mas principalmente as crianças – aprendemos com o ambiente em que estamos inseridos através da interação com as atitudes das pessoas e com os valores reinantes. Aprender é próprio da espécie humana, e cabe aos educadores direcionarem esse fantástico potencial para que não se desperdice na construção de maus hábitos e condutas que não agregam valor.

Há muitos séculos, Sócrates – provavelmente o primeiro grande educador – no alertou para esse fato, criando a expressão maiêutica, que, em grego, significa a arte de dar à luz. Segundo o filósofo, a função do mestre seria a de ajudar o conhecimento a nascer, o aluno a construir seu próprio saber. Para tanto, quem assume a função de educar – a mais nobre entre as tarefas humanas – assume, ao mesmo tempo, a imensa responsabilidade de influenciar mentes, almas e futuros.

Se a educação do jovem não for direcionada, acondicionada por saberes úteis e valores elevados, ele aprenderá de qualquer maneira, só que, neste caso, sem garantia de que estará sendo formado um cidadão digno, com sua performance orientada à produção do bem.

Por isso Tiba insiste que todos somos educadores – ou educacionistas, para usar uma expressão do senador Cristovam Buarque – e que não podemos deixar de investir em nossa qualificação para tal. Sua orientação terapêutica, como psiquiatra, é a de ajudar pessoas a se inserirem no processo permanente do desenvolvimento humano.

Ninguém passa pela vida sem aprender e sem ensinar. Trata‑se de um destino genético próprio de nossa espécie. Estamos condicionados a aprender e a ensinar, entretanto, essa missão precisa ser aprimorada constantemente, pois o conhecimento cresce exponencialmente, e os valores humanos devem ser polidos diariamente, para evitar que a poeira da luta pela sobrevivência social retire seu lustro.

O precioso deste livro é ser um cadinho intelectual, em que teorias e experiências, conceitos clássicos e conselhos práticos, se encontram e se fundem em uma mensagem final de grande profundidade e imensa utilidade. Apresentado de forma simples, sem sofisticação desnecessária – ao contrário, com uma linguagem clara e correta – Pais e Educadores de Alta Performance atinge o objetivo a que se propõe: tirar os temas da educação do ambiente acadêmico, hermético, e colocá-lo ao alcance de todos, especialmente daqueles que mais precisam aprimorar‑se enquanto educadores: os pais.

Ser de Alta Performance, na visão criativa do autor, é dar mais Passos Além do que ficar Marcando Passo. Pois foi o que ele fez com este livro, deu mais um Passo Além, para que seus leitores – e aqueles que serão influenciados por eles – possam dar o seu próprio passo, seguro e otimista. Aliás, otimista porque seguro, e seguro porque educado. Boa leitura!

 Eugenio Mussak – Educador e escritor

Fonte: trecho do Prefácio feito por Eugenio Mussak para o livro “Pais e Educadores de Alta Performance”, de Içami Tiba

 

« Novidade!!! Leia aqui o primeiro capítulo do livro:

« Clique e saiba mais sobre o evento de Lançamento!

 


… A carreira ainda existe: a busca por uma carreira de vida!

maio 3, 2011

Por muitos anos a carreira profissional esteve associada à ampliação de desafios e ao reconhecimento pessoal, criando assim uma correlação absolutamente impraticável nos dias atuais, pois os níveis hierárquicos estão cada vez menores e a quantidade de posições disponíveis no “alto da pirâmide” organizacional reduz a cada crise mundial.

Devemos realinhar nossas expectativas de “carreira” lembrando que, com a ampliação da expectativa de vida, dificilmente teremos apenas uma “profissão” em nossas vidas.

Precisamos concentrar nossos esforços e expectativas de desenvolvimento pessoal em desafios e projetos e não mais em uma carreira, sabendo que a profissão ou o emprego atual é só um meio para algo muito mais verdadeiro que a carreira profissional. As expectativas sobre títulos e cargos já não podem ser consideradas mais relevantes do que os desafios que vencemos e as formas que utilizamos para superá‑los.

Durante nossa trajetória, teremos bons empregos e péssimos chefes ou ótimos líderes e terríveis ambientes de trabalho; as escolhas e o modo empregado para realizá‑las vão determinar a verdadeira carreira.

O grande legado do jovem, seu supremo reconhecimento, não acontecerá por uma carreira profissional, mas por sua carreira de vida.”

Leia aqui o primeiro capítulo do livro!

Fonte: trecho do livro “Geração Y – Ser potencial ou ser talento? Faça por merecer” – Integrare Editora


%d blogueiros gostam disto: