A mandala de areia (por Eduardo Almeida)

Creio que um dos melhores e mais eloquentes exemplos da habilidade para lidar com a impermanência e para criar resiliência frente às “derrotas” pode ser observado em uma prática espiritual tibetana.

 

Os tibetanos têm o curioso hábito de construir complexas mandalas de areia, cuja produção demora de um a três meses. Quando está pronta, fazem uma oração (dedicando os méritos para outros seres) e, em seguida, varrem-nas, desmanchando-as para sempre.

Isso é algo impressionante de se observar, pois são verdadeiras obras de arte construídas com areia colorida e, sendo arte, é natural que o artista que construiu a obra se sinta apegado ao resultado de sua criação.

 

Os tibetanos realizam essa tarefa para se libertar do apego, em especial, do apego ao fruto de nosso trabalho e do sentido de permanência de tudo o que construímos. Não consigo imaginar o nível de desprendimento que é necessário para produzir uma elaborada obra de arte, com todo afinco e amor, já sabendo que seu destino é a destruição pelas próprias mãos do artista. Mas analisando com um pouco mais de profundidade, esse é exatamente o destino de toda obra ou relação humana.

 

Precisamos aprender a refletir mais sobre nossos erros, procurando ser menos defensivos, entendendo que cada erro é uma oportunidade singular de crescimento, especialmente quando aprendemos com eles e temos a capacidade de levantar e seguir em frente.

 

Afinal, nada do que fazemos dura para sempre, mas as lições que retiramos com cada “mandala” que se vai é que toda experiência nos aprimora e nos acompanha vida afora. Assim, muito mais do que buscar, tornar perene relacionamentos e conquista, passamos a valorizar cada um deles enquanto estão em nossas vidas.

 

insta_25_11_No caminho da vitória_Eduardo Almeida_Integrare_Edit

 

Fonte: livro “No caminho da vitória”, de Eduardo Almeida- Integrare Editora

Saiba mais sobre o livro!

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: