Você consegue definir quais são as suas prioridades? Por Içami Tiba

dezembro 9, 2013

Hierarquizar é estabelecer prioridades entre o que é importante, urgente, necessário e assim por diante. Quando não existe esta hierarquização, perde-se tempo com coisas não tão necessárias nem tão urgentes.

Mesmo as mulheres mais organizadas, ao se preparar para uma festa, costumam deixar a casa numa grande bagunça. Porém, recolocam tudo nos seus devidos lugares assim que possível. Elas hierarquizaram as prioridades. Mais importante que deixar a

casa em ordem era ficarem lindas para sair. Depois que voltaram, o mais importante era recuperar a ordem.

Entretanto, um garotão que deixa seu quarto sempre bagunçado porque tem preguiça de arrumar, ou que diz que para ele está bom assim, é diferente. Para ele a organização do quarto não é prioridade. Há um choque de prioridades entre a mãe ordeira e o filho bagunceiro.

Neste choque é importante a interferência do líder da equipe. Provavelmente o líder pleno terá uma visão de 360º para o gerenciamento do conflito e será capaz de dar responsabilidades ao filho.

Faz parte de uma boa performance o aprendizado para estabelecer hierarquias conforme prioridades.

Image

Fonte: livro “Família de Alta Performance – Conceitos contemporâneos na educação”, de Içami Tiba – Integrare Editora

 

Saiba mais sobre o livro!

 

Image


Você é meticuloso? Entenda se isso é bom ou ruim… por Dean Cunningham

dezembro 6, 2013

Ser meticuloso significa prestar atenção aos pequenos detalhes. Como me disse, certa vez, um campeão mundial de caratê extremamente bem-sucedido, a atenção aos detalhes é o que nos distingue dos demais.

Quer obter uma conquista rápida? Fique atento aos detalhes. Há sempre algo que pode ser feito em relação a eles. Isso é uma coisa que você é capaz de melhorar instantaneamente. É como colocar uma gravata: um pequeno ajuste faz toda a diferença. Assim, procure melhorar as pequenas coisas. Faça o que é possível. Dessa forma, terá mais energia e a sensação de que, de fato, está atingindo seu objetivo.

Em todos os trabalhos ou desempenhos

excepcionais, a excelência sempre

está nos menores detalhes.

Todos sabem que o segredo para obter qualidade em cada detalhe de seu trabalho é fazer bem as pequenas coisas. Exatidão. Atenção aos detalhes. Perfeição. Isso é ser meticuloso.

Imagem

Fonte: livro “Pura Sabedoria – Coisas simples que transformam o dia a dia”, de Dean Cunningham – Integrare Editora Editora

 

Saiba mais sobre o livro!

 


MOTIVAÇÃO… bem na minha vez! Por Dado Schneider

dezembro 4, 2013

• Ter consciência da realidade pode motivar uma pessoa. Ter consciência é ter algum conhecimento sobre algo. Ter conhecimento leva à Motivação.

• Quando uma pessoa está motivada é porque entendeu seu papel. Para que uma pessoa entenda seu papel, é preciso que outra pessoa lhe passe isso.

• Motivação é um sentimento que o receptor tem: é uma mensagem que já está dentro dele e ela é apenas despertada pelo emissor. Algo que sensibiliza.

PENSE NISSO!!!

Imagem

Fonte: livro “O mundo mudou… bem na minha vez!”, de Dado Schneider – Integrare Editora

 

Saiba mais sobre o livro!

 


Pais, filhos, jornais e brinquedos: a disputa pela atenção! Por Içami Tiba

dezembro 2, 2013

Quando o pai chega em casa, o que ele mais quer é recuperar-se. Seu corpo está arrebentado e seu cérebro “em coma”. O seu jornal, televisão, internet funcionam como a fogueira no terreiro do jurássico caçador. Está dando uma ocupação para os olhos enquanto tudo se recupera em paz. E o que o filho mais deseja é brincar com o pai. Resumindo: o pai quer paz, e o filho quer o pai…

O filho, em busca de companhia, faz de tudo para chamar a atenção do pai. Aliás, as crianças estabelecem com os adultos uma relação em forma de túnel: elas ficam de um lado, o adulto de outro. Se o pai der atenção para outra pessoa ou mesmo para o jornal, o filho sente-se excluído. É como se o pai se instalasse numa das pontas do túnel e colocasse a televisão ou o computador no meio, e o filho ficasse na outra ponta. A relação com o filho foi bloqueada.

Os pais precisam encontrar um jeito, seja como for, de dar

atenção para o filho no momento em que ele pedir. Não adianta

enchê-lo de atenções quando ele não a quer mais.

            Se o pai fizer valer sua vontade com base na lei do mais forte (repreender, agredir, reprimir), o filho sentirá que ele não é seu companheiro. Daí começam a surgir brechas que podem caminhar para o rompimento do relacionamento. O importante para o filho é a convivência e o companheirismo do pai. Se, por exemplo, o pai pegá-lo no colo enquanto lhe mostra um brinquedo, o que acontece? O pai se coloca ao lado do filho para observar o brinquedo que está na outra ponta do túnel. Da mesma forma, se o pai puser o filho ao seu lado, os dois terão diante de si a televisão e poderão assistir ao programa juntos. Contudo, para que o filho olhe para a TV ou qualquer outro ponto que o pai queira lhe mostrar, é preciso que o pai tenha olhado antes para o brinquedo dele.

Imagem

Fonte: livro “Disciplina – Limite na medida certa”, de Içami Tiba – Integrare Editora

 

Saiba mais sobre o livro!

 

Imagem


%d blogueiros gostam disto: