Pai é PAI e não ajudante da mãe! Por Içami Tiba

Paternidade é uma função própria do pai, com direitos e obrigações familiars importantes. Pai não é coadjuvante da mãe, é seu complementar.

            A mãe costuma pedir ajuda ao pai: Ajude aqui, por favor, fique um pouco com as crianças! Ele acha que está apenas ajudando a mãe e não se sente fazendo a sua parte. Muitos pais nada fazem enquanto suas mulheres não pedem. Para os filhos não interessa se é a mãe que está muito ativa ou se o pai é muito passivo. O que eles precisam é de pai e de mãe. Neste ponto, alguns pais reclamam que suas mulheres os tratam como se fossem filhos.

            Paternidade é a atitude de estar pronto a atender seus filhos, sem esperar que a mãe peça.

            Um pai acomodado, além de não ser um bom exemplo na família, estimula o filho a explorar a mãe. Numa família assim pode se estabelecer uma confusão entre pai acomodado/pai bonzinho e mãe ativa/mãe rabugenta – quando na realidade o pai é negligente e a mãe ativa é obrigada a cobrar as obrigações de todos.

            Fica muito clara esta situação quando uma mãe reclama que ela é a “pãe” da família. Ela tenta preencher também as funções de pai, o que é quase impossível.

            Há muitos homens, no entanto, que já assumem bem mais seu papel. Muito longe de querer substituir a mãe, eles querem tomar parte na educação do filho. Reparei em um passageiro que, em pleno voo, trocava as fraldas de seu bebê, que deveria ter um ano de idade. A mãe não estava presente. Um bebê cuidado pela mãe e pelo pai cresce com menos preconceitos e com menos machismo. Aquela família parece estar desenvolvendo a Alta Performance.

 

Imagem

 

Fonte: livro “Família de Alta Performance – Conceitos contemporâneos na Educação”, de Içami Tiba – Integrare Editora

Saiba mais sobre o livro!

 

 

Imagem

12 respostas para Pai é PAI e não ajudante da mãe! Por Içami Tiba

  1. Deise disse:

    Gostei do artigo, mas tem que lembrar que hoje em dia existem muitos pais separados, que as mães acham que podem tudo e o pai fica só com obrigaçoes. Direitos são raros.

  2. Naira Prado disse:

    Gostei desta postagem, meu marido passa bastante tempo fora devido ao trabalho só vê os meninos na parte da manhã e também aos finais de semana, muitas vezes me sinto sobrecarregada. Quando ele está em casa procura ficar ao máximo com os filhos.

    • Oi Naira! Que bom que o tempo que ele passa em casa, tenta ficar com os filhos. É importante focar justamente nisso… na QUALIDADE do tempo que passam juntos! Pode ser pouco tempo, mas se for de qualidade, já fará toda diferença 🙂

  3. Excelente!! Como sempre, Içami Tiba com suas colocações perfeitas. Sou fã!
    Jamile
    Mãe para Mães
    http://www.maeparamaes.com

  4. Anita disse:

    Ah se todos os homens que colocam filhos nesse mundo tivessem a luz de pensar assim. Com certeza teríamos pessoas bem mais ajustadas a viver em sociedade e principalmente a um dia se tornarem pais.

  5. Renata disse:

    Adorei o artigo! Nunca gostei deste termo “ajuda”. Depois que a minha filha nasceu muitas pessoas me perguntam se o meu marido “me ajuda”. Sempre respondo que não, ele não “me ajuda”, ele exerce seu papel de pai, oras! Trocar fralda, dar banho, ficar uma tarde com ela não são favores, são obrigações, favores pedimos para as avós, por exemplo, e não para o pai. Felizmente minha filha tem um pai presente!!!

  6. Katia disse:

    Hoje me sinto sobrecarregada com meus 2 filhos, uma de 2 e outro de 35. O pai nunca participa de nada do trabalho braçal, peço pra ele limpar a bunda da filha dele enquanto termino algo e nem isso é capaz de fazer. Ajuda-la a terminar a comida, me espera….troca-la qd se molha, me chama….leva-la ao parque do predio, ah não tenho saco!…dar um banho nela….nunca! Qd chega cedo em casa se enforna no vídeo game, qd a filha dorme as 20h ele vai pra sala querendo carinho….e quem sabe q eu incorpore a amante….quem tem libido pra encarnar a amante depois de um dia massante de trabalho+ 2 filhos. Qd os parentes perguntam pelo irmãozinho….dou risada, tão de deboche gente?! Quem sabe esses livros me ajudem….indiretas, diretas e brigar não tem dado resultado.

  7. maria jose de araujo costa disse:

    Acho que isso deve ser falado aos quatro ventos, para que quem está criando seus filhos agora, prepare os meninos para serem pais. Às vezes eles têm boa vontade, mas em nossa cultura só a mulher se prepara para o nascimento do filho (se informa, troca experiências, etc). Muitas vezes o pai é muito legal, brinca com o filho, leva na escola, está não está preparado pra EDUCAR!!!

  8. Infelizmente as mães estão sobrecarregadas! Com queixas comuns, a dupla jornada, tanto a mãe casada como a separada percebe-se um certo desleixo por parte do pai, com o fardo doméstico e também com o cuidado de filhos! Além da indiferença do pai, vemos os filhos muito acomodados esperando que a mãe seja quase uma empregada! Sem falar é claro da ajuda financeira
    que é sempre sofrível….

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: