Abrindo mão das certezas

novembro 11, 2011

Que tal comecar parando com a certeza? Não tenha certezas, abra mão de todas elas e assim, no espaço da dúvida, novas respostas poderão surgir… ou não, como diria o mestre zen. O fundamental é manter o foco no essencial, naquilo que dá sentido e tem significado. Se for preciso parar, desistir, mudar seja lá o que for necessário para manter o foco, faca- o. Porém, mantenha a confiança em si e na capacidade de alcançar o foco. Do contrário, o ceticismo será o seu guia, e cético é aquele que não acredita, é um descrente em determinado assunto ou situação. E o exercício do ceticismo é também uma enorme ausência de fé (seja na transcendência, na vida ou na oportunidade) e de esperança. É a não condição, a imobilidade ou, ainda pior, um profundo cinismo diante das novas ideias e propostas. É não fazer e nao apoiar quem faz.

O ceticismo é uma das fontes da imobilidade, da desesperança, da ausência de confiança e do consequente vazio de aç˜åo. O cético, além de matar as condições internas para a criação de seus sonhos, ainda faz campanha para desestimular e diminuir a confiança nos sonhos de outros. É o verdadeiro “estraga‑prazeres”, que sempre tem uma palavra amarga para diminuir o fervor e o ânimo das pessoas em planos e sonhos.

 

Fonte: Trecho do Livro “O foco define a Sorte – A forma como enxergamos o mundo faz o mundo que enxergamos”, de Dulce Magalhães – Integrare Editora

 

Para mais informações sobre o tema, consulte o livro ou entre contato conosco.

 

Clique aqui para baixar o 1º capítulo do livro

 

Anúncios

TEMPO: 24 horas

novembro 9, 2011

O tempo diário tem uma energia de começo e fim de ciclo, de renovação, que não podemos desperdicar. Ao final de cada dia há uma espécie de  fechamento de contas e balanço do dia, um tempo para olhar o que fizemos e pensar no que desejamos fazer. É sempre tempo de avaliação e de planejamento.

Todos os dias são oportunidades em potencial para planejar e realizar mudanças; contudo, devemos nos colocar no espírito certo, de pensar sobre o que foi e o que queremos que seja, enfim, cada dia é um tempo propício para exercitar o maravilhoso poder de escolher o futuro que queremos viver.

Fonte: Trecho do Livro “O foco define a Sorte – A forma como enxergamos o mundo faz o mundo que enxergamos”, de Dulce Magalhães – Integrare Editora

Para mais informações sobre o tema, consulte o livro ou entre contato conosco.

Clique aqui para baixar o 1º capítulo do livro!


Bolha de sabão – o retrato de uma existencia

novembro 7, 2011

Uma bolha de sabão surge do sopro, é matéria altamente perecível e impermanente, é translúcida e reflete tudo o que está ao redor.

Esse parece ser o retrato perfeito de uma existência. Surge do sopro fecundo da vida, vai se modificar e fenecer e, assim como reflete tudo o que está ao redor, também contém, dentro dessa bolha transparente de vida, todas as coisas que espelha.

Tudo passa, já sabemos, o bom e o ruim, o mais espetacular e o mais desastroso.

Tudo é impermanente, mas seja qual for a expressão do instante ele é o retrato milimétrico da realidade. Não há nada fora do agora. Tudo está aqui, todo o potencial, todas as experiências, todo o conhecimento, toda a capacidade, toda a vida.

Podemos acreditar que haverá outro momento, outro tempo, outra oportunidade, mas nossa única certeza mesmo é deste exato, restrito e fugidio instante. No mais, é o ilusório desejo de que da máquina cósmica da qual saem as bolhas do instante continuem surgindo mais e mais bolhas em que possamos navegar na realidade presente. Vamos tendo a sorte de continuar recebendo as bolhas do momento, mas em alguma hora essas bolhas vão cessar e o que foi aproveitado foi, o que não foi, perdeu-se.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Trecho do Livro “O foco define a Sorte – A forma como enxergamos o mundo faz o mundo que enxergamos”, de Dulce Magalhães – Integrare Editora

Para mais informações sobre o tema, consulte o livro ou entre contato conosco.

Clique aqui para baixar o 1º capítulo do livro!


Não dá para mudar sem mudar

novembro 4, 2011

Mudar de ideia nao quer dizer estar errado e, portanto, estar se retratando, mas ter avançado na percepção. Mudar é ver e sentir diferente aquilo que se apresenta a cada instante. Como todo instante é novo, deveríamos ser capazes de continuamente fluir na mudança. Se a única constante é a mudança, como já nos afirmava Heráclito de Éfeso, em 500 a.C., entao mudar é parte integrante da realidade de cada instante.

Contudo, não estamos tão dispostos a seguir o fluxo e resistimos bravamente a`s mudancas, mesmo desejando que as coisas mudem, o que é incoerente. Queremos novos hábitos, porém não desejamos aplicar a disciplina necessária para que essa mudança ocorra. Desejamos novas perspectivas de vida, todavia não investigamos com profundidade as alternativas ao modelo de mundo que criamos. Não dá para mudar sem mudar.

E não dá para mudar sem deixar morrer aquilo que não é mais. Duas atitudes nao podem ocupar o mesmo instante na vida de um ser humano.

 

 

Fonte: Trecho do Livro “O foco define a Sorte – A forma como enxergamos o mundo faz o mundo que enxergamos”, de Dulce Magalhães – Integrare Editora

Para mais informações sobre o tema, consulte o livro ou entre contato conosco.

Clique aqui para baixar o 1º capítulo do livro!


Comunicação na Empresa Familiar

novembro 1, 2011

Assim como investidores do mercado imobiliário afirmam que a chave do sucesso para eles, no que diz respeito a imóveis, é a “localização, localização, localização”, acredito plenamente que a chave da harmonia de uma família empresária é a “comunicação, comunicação, comunicação”.

 

Especialistas que trabalham com famílias empresárias em vários países, com os quais tenho contato, são unânimes em afirmar que o fator de maior influência na manutenção da harmonia entre os membros da família empresária é a boa comunicação. É consenso, ainda, em nossas discussões e troca de experiências, que a má comunicação entre os familiares baseia-se em três fatores principais:

 

• agendas ocultas

• esperar muito para conversar sobre os conflitos

• pensar que o determinado assunto é tão carregado de emoções que será impossível conversar racionalmente a seu respeito.

 

Fonte: Trecho do Livro “Empresa Familiar – Construindo equipes vencedoras na família empresária”, de Eduardo Najjar – Integrare Editora

Para mais informações sobre o tema, consulte o livro ou entre contato conosco.

 

Clique aqui para baixar o 1º capítulo do livro! Empresa Familiar


%d blogueiros gostam disto: