Agir com o coração

fevereiro 1, 2011

         Você seria capaz de se atirar em um rio para socorrer alguém que está se afogando? Ou de se tornar um voluntário em tempo integral?

          Enquanto muitos dos que aparecem no palco do mundo praticam ações impulsivas e deliberadas, com a consciência de serem os donos ou mesmo os heróis da situação, nos casos caracterizados pelo que chamamos de grandeza, parece ocorrer exatamente o contrário.

          Todo o senso de identidade do “eu” agindo literalmente se evapora quando a pessoa entra em ação. Ela atenta unicamente em quem corre perigo e nas necessidades do momento. Quando a situação exige, move-se com presteza, sem dissipar esforços, fazendo exatamente o que o instante requer – e não pensa em recursos, obstáculos ou consequências. 

Judy Rodgers e Gayatri Naraine, em “Algo além da Grandeza – Conversas com o cientista Humberto Maturana e a yoguini Dadi Janki”


%d blogueiros gostam disto: